IV Semana do Geógrafo

Nos dias 12 e 13 de maio, às 19 horas, e 8 horas e 30 minutos, respectivamente, ocorreu no Polo de Nova Friburgo o evento IV Semana do Geógrafo, que contou com diversas atividades, como a palestra “Manejo de Bacias Hidrográficas: O estudo de caso das Cabeceiras do Rio Dois Rios”, “A Geografia na obra “Vidas Secas”(Graciliano Ramos)  e a Mesa Redonda “Festa e Religião: trabalho de campo e as abordagens humanista e cultural em Geografia”. 

No dia 12 de maio a palestra realizada pelo professor Douglas Figueira abordou o tema sobre o “Manejo de Bacias Hidrográficas: O estudo de caso das Cabeceiras do Rio Dois Rios”. A Bacia Hidrográfica do Rio Dois Rios abrange cerca de nove municípios fluminenses, entre estes, Nova Friburgo. O Rio Dois Rios é formado pela confluência do Rio Negro com o Rio Grande e deságua no rio Paraíba do Sul.

Para mais informações sobre a Bacia acesse:

 http://www.ceivap.org.br/downloads/cadernos/Caderno%207%20-%20Dois%20Rios.pdf

douglas 2[550].jpg

A diretora do Polo, profª Rosali Zavoli, agradecendo ao professor Douglas Figueira pela palestra.

Palestra Douglas 1[549].jpg

Palestrante agradecendo a presença de todos.

Na primeira atividade do dia 13 o palestrante Diego Mazin discutiu a relação entre Geografia e Literatura na obra “Vidas Secas”, escrita por Graciliano Ramos, em 1938, sendo uma de suas obras mais importantes. Ele discorreu sobre os objetivos do autor e enfatizou que o mesmo passou parte de sua vida perseguido pela ditadura.

Diego Mazin explicou sobre a necessidade do geógrafo conhecer a demografia e a cultura da época, a fim de entender melhor a dimensão humana, ou seja, as características do Sertão Nordestino e como isso afetava as personagens da história e a sua cultura. Por isso, ressaltou a importância dessa obra, já que foi um dos marcos da segunda fase do Modernismo, movimento que queria o rompimento com o tradicionalismo da época.

O palestrante falou sobre a linguagem do livro, o que era a seca, ou seja, o ambiente que o livro retrata, e até a política da época, estando muito presente o coronelismo e a opressão do poder econômico. 

20170513_084902.jpg

A diretora do Polo, profª Rosali Zavoli, agradecendo ao estudante Diego Mazin (GEO) pela palestra.

20170513_084940.jpg

O tutor presencial Artur Schausltz fazendo considerações sobre a IV Semana do Geógrafo e agradecendo a todos pela participação.

20170513_090236.jpg

Diego Mazin,  licenciando em Geografia (UERJ), explicando como o fluxo da história ocorria e como o coronelismo estava envolvido nesse fluxo.

20170513_094658.jpg

Final da palestra e tempo para realização de perguntas.

Dando sequência ao evento, aconteceu a Mesa Redonda “Festa e Religião: trabalho de campo e as abordagens humanista e cultural em Geografia”. Nessa atividade, organizada pelos professores Carliane Sandes, Cassio Novo e José Arilson, foram discutidos os diversos tipos de conhecimento que o geógrafo precisar ter na área da geografia humana.

20170513_102733.jpg

Professores convidados iniciando a mesa-redonda.

20170513_111754.jpg

Abordagem humanista e a influência na Geografia.

20170513_111806.jpg

Público durante a mesa-redonda.

Anúncios